Estratégia Nacional de Segurança Rodoviária 2021 / 2030

Visão Zero 2030

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), no cumprimento das suas atribuições de planeamento e coordenação de apoio à política do Governo em matéria de Segurança Rodoviária, está a definir a Estratégia Nacional de Segurança Rodoviária 2021-2030 – Visão Zero 2030, alinhada com a política de segurança rodoviária da Comissão Europeia 2021-2030, com a Declaração de Estocolmo e com a abordagem do Sistema Seguro.

A Visão Zero 2030 pretende fixar o horizonte de médio prazo da política de segurança rodoviária em Portugal e definir os objetivos estratégicos e operacionais correspondentes, a concretizar através de planos de ação bienais a iniciar em 2021 e abrangendo um período total de 10 anos.

A segurança rodoviária é uma responsabilidade de todos. Exige um compromisso e um esforço partilhados, que devem ser assumidos pelo estado, organismos públicos, autarquias, gestores de infraestruturas, organizações com responsabilidades na segurança e na mobilidade rodoviária, universidades, setor empresarial, agentes económicos, organizações e associações, entre muitos outros, e também por todos nós, cidadãos, através do nosso comportamento. Com esse pressuposto, a ANSR deseja integrar contributos de toda a sociedade na Visão Zero 2030, de modo a que todos se identifiquem com a nova estratégia e contribuam para o combate à sinistralidade rodoviária.

A segurança rodoviária é uma responsabilidade de todos e exige um combate partilhado por todos

Apesar dos progressos assinaláveis que Portugal alcançou em matéria de segurança rodoviária nos últimos 25 anos, com uma redução superior a 75% no número de mortos a 30 dias, ainda perderam a vida na estrada, em 2019, mais de 600 pessoas. Este ritmo corresponderia, no transporte aéreo, à queda de três aviões A320 ano, no nosso país, sem qualquer sobrevivente. São pais, mães, filhos, avós, netos, amigos, colegas que partiram cedo demais e deixaram de estar entre nós. São mais de mil famílias destroçadas, são milhares de pessoas afetadas, e é um custo económico e social anual para a sociedade superior a 3,7 mil milhões de euros, 1,6% do PIB Nacional.

Este é um preço inadmissível a pagar pela mobilidade numa sociedade evoluída. Não admitimos mortes no ar, nem na ferrovia e também não devemos mais admiti-las na estrada: a premissa de que nenhuma perda de vida é aceitável tem que estar na base de todas as decisões tomadas na mobilidade e na segurança rodoviária. Zero é o único número aceitável.

É necessário reforçar o compromisso de todos com a segurança rodoviária, através da definição e aplicação de políticas públicas eficazes e eficientes, que mobilizem toda a administração pública central e local, o setor privado e a sociedade em geral. Só assim se conseguirá uma diminuição sustentada e consistente da sinistralidade rodoviária e se obterão resultados significativos na luta contra as suas consequências.

Não aceitamos mortes no ar, nem na ferrovia e também não devemos mais aceitá-las na estrada

O combate à sinistralidade rodoviária é a prioridade da ANSR, mas este combate só será vitorioso se os vários intervenientes do sistema e toda a sociedade assumirem o seu compromisso e responsabilidade nesta causa e se trabalharmos em conjunto para um propósito comum – a Visão Zero 2030.

Neste sentido, foi criado este microsite Visão Zero 2030, para divulgação do desenvolvimento da nova Estratégia Nacional de Segurança Rodoviária 2021-2030 – Visão Zero 2030 – ao longo das suas fases de execução, aproximando o trabalho que está a ser desenvolvido de toda a sociedade.

Esta plataforma convida a sociedade civil a apresentar os seus contributos em matérias relacionadas com a nova Visão Zero 2030, sendo também um meio de divulgação e partilha dos contributos recebidos. Outra das funcionalidades deste site prende-se com a disponibilização da documentação relacionada com as políticas de Segurança Rodoviária a nível mundial, europeu e nacional. Por último, e no que se refere à caracterização da situação atual, este site apresenta ainda os mais recentes dados de sinistralidade rodoviária nacional.

Se no final de cada dia de trabalho conseguirmos salvar uma vida, estaremos a dar um enorme contributo para um futuro melhor

Todos temos uma enorme responsabilidade neste combate. Se no final de cada dia de trabalho conseguirmos salvar uma vida, estaremos a dar um enorme contributo para um futuro melhor e realizar-nos-emos através do melhor resultado que qualquer profissional pode almejar – salvar vidas.

A Sinistralidade Rodoviária não é uma fatalidade nem uma situação inevitável e pode ser combatida com sucesso. Contamos com todos.

Estratégia Visão Zero 2030

A Visão Zero 2030 irá expor a visão de longo prazo da política de segurança rodoviária em Portugal e estabelecer os objetivos estratégicos e operacionais correspondentes.

Estrutura de Gestão

Para desenvolvimento deste projeto foi criada uma estrutura de gestão. A Execução da Visão Zero 2030 está a cargo da Comissão Executiva, sob coordenação da ANSR.
Integram a referida estrutura
Icone Conselhos

Conselho Executivo de Especialistas
(CEE)

composto por personalidades com elevado conhecimento e experiência em Segurança Rodoviária, que têm como missão fazer um acompanhamento permanente do desenvolvimento da Estratégia, e dar contributos para os seus documentos

Icone Conselhos

Conselho Não-Executivo de Especialistas
(CNEE)

composto por cerca de 30 peritos em áreas específicas relacionadas com a segurança rodoviária, como infraestruturas, inovação, emergência, educação, veículos, fiscalização, comunicação, mobilidade, urbanismo e fatores humanos

Icone Conselhos

Conselho Consultivo Nacional (CCN) e Conselho Consultivo Internacional (CCI)

responsáveis pela revisão dos documentos finais

Está ainda previsto um Gestor de Projeto. A constituição desta estrutura, membros e respetivos curricula podem ser consultados no link abaixo